Direção elétrica ou hidráulica

Direção elétrica ou hidráulica: conheça as diferenças e não erre na escolha

É consenso entre os amantes das estradas que dirigir é uma das mais potentes terapias. Para além do bom desempenho do motor, a sensação de bem-estar só fica completa se o carro tiver o conforto como uma de suas características principais. É exatamente por esse progresso nos padrões de produção, que um item vem sendo pensado para proporcionar extrema comodidade: o volante. Se antes era premissa trazê-lo de série na versão mecânica, hoje as opções do mercado priorizam veículos com direção elétrica ou hidráulica.

Uma verdadeira evolução para a dirigibilidade! A dúvida que assola os consumidores da atualidade diz respeito a qual das duas tecnologias adotar em seu dia a dia.

Todavia, antes de darmos esse passo e explicar-lhe as vantagens de uma e de outra, primeiro vamos viajar pelo passado. Que tal um pouquinho de história para contextualizar?

Como direção elétrica e hidráulica surgiram no mercado automotivo?

O carro que inaugurou os parâmetros considerados como luxo no Brasil, circulou em 1967. Entre seus elementos, ar-condicionado e direção hidráulica. 

Mas, o que poucos sabem, é que a tecnologia hidráulica é quase tão antiga quanto o surgimento do primeiro veículo no mundo. 

A verdade é que a inovação demorou um pouco para ser conhecida, e existe uma justificativa bastante plausível para isso: o peso. Ninguém acertava. Na contramão da proposta, as primeiras patentes traziam componentes tão densos, que tornavam a sua aplicação impossível em veículos terrestres. 

Somente em 1920 surgiu um projeto que realmente deu certo, tendo sido criado pelo engenheiro Francis Davis. E ele sabia que sua solução lhe daria uma mina de ouro. Escolheu os caminhões para serem o seu laboratório de testagem, no qual ele confirmou o que já sabia: produtividade e agilidade ganharam as ruas.

Com o tempo, os processos de fabricação tornaram possível a miniaturização para uso em veículos menores. E assim a direção hidráulica iniciou a trajetória rumo à popularização.

Quase 70 anos depois…

A Ásia revelou ao mundo a chegada de outra inovação: a direção elétrica. Em um primeiro momento, adotada somente para carros com pouca carga dianteira. 

Direção elétrica e hidráulica: dois sistemas diferentes que têm o mesmo intuito

Direção elétrica e hidráulica têm um aspecto em comum: ambas proporcionam ao motorista esforço mínimo em manobras de conversão e baliza. Ao estacionar, por exemplo, aquele cansaço causado pelo volante de veículos com tecnologia mecânica é inexistente.

Entretanto, por mais que o resultado para o condutor seja muito semelhante, é internamente que percebem-se as grandes diferenças. 

DIREÇÃO HIDRÁULICA

Cerca de 80% mais leve que a direção mecânica. 

Entenda a lógica que compõe o funcionamento da direção hidráulica: 

Uma bomba faz o óleo- que tem a função de lubrificar – circular pela caixa de direção. Um pistão fica conectado à engrenagem, que utiliza um fluido pressurizado que, por sua vez, faz a roda girar com mais facilidade. 

Assim, a direção hidráulica é empurrada para um lado e para o outro em um movimento fácil.

MANUTENÇÃO

Deve ser periódica – ao menos anual -, visando a troca de óleo e correias. Além disso, todas as peças que a compõem devem ser verificadas.

DIREÇÃO ELÉTRICA

Um pequeno motor é atrelado à caixa de direção.

Quando a direção é totalmente elétrica, não há óleos. Apenas existe um sistema conectado que, quando acionado, deixa o manuseio muito mais leve. Basicamente, ao ser ligado o veículo emite um sinal ao módulo eletrônico, responsável por acionar o motor elétrico.

Movimento de torque identificado no volante, um sensor óptico interpreta a ação e torna a realização da curva muito simples. Quando mantém a direção em linha reta, o sistema não ativa a assistência.

MANUTENÇÃO

Praticamente não exige manutenção! Ao contrário dos modelos hidráulicos,sua complexidade se restringe a um pequeno motor.

HÁ UMA PARTICULARIDADE AQUI!

Existem modelos que são híbridos: os eletro-hidráulicos.

A bomba que no sistema hidráulico é acionada pelo motor do carro, nesse sistema recebe informações de um motor elétrico independente.

Qual é a melhor escolha: direção elétrica ou hidráulica?

Em termos de leveza e facilidade nas manobras, não há diferenças entre direção elétrica ou hidráulica. 

Contudo, como você pode ver, a direção elétrica sai na frente no quesito manutenção.

Há também um outro atributo que a coloca em maior vantagem: por gerenciar melhor a energia do carro, exige menos potência do motor, o que o torna mais eficiente.

Nos modelos Hyundai – HB20 Nova Geração e Creta 2020 – a direção elétrica progressiva é item obrigatório, prova da qualidade da marca e da preocupação com o bem-estar e segurança dos consumidores. 

Ah, e o consumo de combustível fica otimizado.

Está curioso? Agende um test drive e venha até uma Geração Hyundai para conhecê-los.

Deixe um comentário!

comentários